Greve

Professores da rede pública estadual decidem entrar em greve por tempo indeterminado

Da Redação do Jangadeiro Online

Assembleia dos professores estaduais

Os professores da rede pública estadual decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A medida foi anunciada após assembleia da categoria realizada na tarde desta segunda-feira (1°), no ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza.  Os educadores  estavam em “estado de greve” desde o dia 30 de junho.

O sindicato APEOC, que representa a categoria, cobra que a Lei Nacional do Piso Salarial repercuta em toda a carreira do magistério, em todos os níveis salariais. Mas a proposta apresentada pelo governador Cid Gomes prevê um sistema de readequação do Plano de Carreira dos Professores à Lei do Piso.

A proposta foi apresentada na última quinta-feira (28) e não agradou aos professores. Sem alternativa, diante do impasse na negociação com o governo, o indicativo de greve geral por tempo indeterminado ganhou força.

Resultado:  o movimento de greve foi deflagrado na tarde desta segunda-feira e segundo os professores, deve permanecer até que o governador Cid Gomes acate as reivindicações da categoria no cumprimento da Lei Federal.

Leia mais:
Audiência com o governador e Sindicato APEOC acontece nesta quinta
Negociações não avançam e professores do Estado podem deflagrar greve nesta segunda

A palavra de Cid
Na noite da última quinta-feira (28), o governador Cid Gomes esteve reunido com representantes dos professores para apresentação uma proposta para a categoria. Segundo o governo, a proposta feita em conjunto pela Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), Secretaria da Educação (Seduc) e Secretaria da Fazenda (Sefaz) elevaria em 45% a remuneração (base+regência) do professor em início de carreira com nível superior, em relação a 2010, passando de R$ 1.461,50 para R$ 2.000,00.

Já para os professores temporários, a proposta de Cid Gomes combinada à lei que recentemente equiparou a remuneração ao nível 13, representará um incremento de até 60%. O governo defende que com esta medida, o Ceará saltaria do 23º para 15º maior salário entre os Estados do Brasil. A lei será enviada à Assembleia no início de agosto com a volta dos trabalhos legislativos.

Lei que deturpa Lei
Do outro lado, os professores afirmaram que mesmo após uma “longa negociação” entre Sindicato Apeoc e Governador Cid Gomes, o projeto de Lei que será enviado para votação na Assembleia “destrói qualquer perspectiva de carreira para os professores e deturpa a Lei Nacional do Piso do Magistério”.

Hora Atividade
Além da questão salarial, a Lei Nacional do Piso estabelece outros direitos aos educadores como 30% da carga horária para o planejamento das aulas. O estado contesta a determinação e aguarda pronunciamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o assunto.

Por enquanto, os professores da rede estadual tem direito a apenas 20% e segundo o governador não existe previsão de mudanças.

“Não estamos cogitando em alterar aquilo que é lei estadual, que é 20% da carga horária dos professores reservadas ao planejamento”, disse Cid Gomes durante entrevista no dia 14 de junho de 2011. (Confira a entrevista aqui)

Acompanhe a reportagem do Jornal Jangadeiro


Curtir:


7 thoughts on “Professores da rede pública estadual decidem entrar em greve por tempo indeterminado

  1. O Governo do Estado, assim como a Prefeitura de Fortaleza, não acatará as reivindicações dos professores em greve. O roteiro já é conhecido: 1) A greve se estenderá sem solução; 2) Os meios de comunicação contribuirão para o desgaste da greve não informando de forma clara as reivindicações dos professores à sociedade; 3) a Justiça, a pedido do Estado, decretará a ilegalidade da greve ; 4) Os professores voltarão para a sala de aula sem conquistas e com o ônus de recuperar os dias parados.
    A lei que foi criada para valorizar o trabalho docente se transformou numa fonte de humilhações para os professores, visto que é distorcida, com o aval da Justiça, pelos governantes que não a cumprem, contribuindo para a disseminação de uma cultura de desvalorização dos professores, não só pelos governantes, mas tambem por toda a sociedade. No Ceará, está cada vez mais difícil encontrar alguém que não odeia os professores da escola pública.

  2. GREVE GERAL, INTERIOR E CAPITAL !!!!!!!!!!!!!!!!!
    TEM DINHEIRO PARA AQUÁRIO
    NÃI TEM PARA SALÁRIO !!!!

    TEM DINHEIRO PARA CARRÃO… CORRUPÇÃO…

    SÓ NÃO TEM DINHEIRO PARA A EDUCAÇÃO !!!!!

  3. isso é uma falta de seriedade! estamos vivendo em uma sociedade desorganizada ,infantil ( que não chega a um acordo )!

  4. minha revolta com esse pais é que “a corda arrebenta do lado mais fraco” nos estudantes , são os mais prejudicados ! porque “esses “que passam o tempo todo tentando chegar a uma solução ,estão com a vida ganha !

  5. essa greve só é boa no momento, mas no fim é os alunos q acabam se prejudicando.É…
    Férias prolongadas !

  6. A culpa dessa greve deve-se única e exclusivamente a atitude arbitrária do governador Cid Gomes, querendo impor à categoria um plano de desvalorização da carreira de professor, o que descumpre integralmente a filosofia da Lei do Piso, que expõe a necessidade de valorização da carreira docente.

Comments are closed.