Fortaleza

Professores invadem plenário da Câmara de Vereadores

Um grupo de professores da capital invadiu o Plenário da Câmara Municipal de Fortaleza (CMF) na manhã desta quarta-feira (25), durante protesto. Os manifestantes, que estão em greve desde o dia 26 de abril, querem a implantação do Piso Nacional da categoria.

Leia mais:

Professores protestam no pátio da Câmara Municipal de Fortaleza
Professores fecham entrada do Terminal do Siqueira

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) consideram constitucional a Lei 11.738/2008, no ponto que regulamenta o Piso Nacional (vencimento básico) para os professores da educação básica da rede pública. O valor foi fixado em R$ 1.187, para uma carga horária de 40 horas semanais. A decisão foi dia 6 de abril.

Decisão de greve
Em Assembleia no dia 26 de abril no ginásio do Colégio Marista Cearense, no Centro de Fortaleza, professores da Rede Municipal de Ensino decidiram decretar uma nova greve.

Na pauta emergencial dos professores, estão: o pagamento do piso estabelecido pelo STF; eleições diretas para diretores de escolas, que, segundo a categoria, não acontece há oito anos; correção de Planos de Cargos e Carreiras, dentre outros.

Veja o vídeo


Curtir:


8 thoughts on “Professores invadem plenário da Câmara de Vereadores

  1. Adorei a cobertura, sou professora e espero que a Prefeitura seja justa em dar os direitos reivindicados pelos professores. Avante companheiros!

  2. É vergonhosa a maneira como a nossa educação é tratada pelos politicos. Precisamos entender que sem a devida valorização da educação jamais conseguiremos ter cidadãos conscientes de seus direitos e deveres. Implantação do piso é lei e lei é pra ser cumprida.

  3. Este veículo de comunicação está de parabéns,pois já vi, a jornalista executando seu trabalho em relação a este acontecimento.Enquanto outros meios de divulgação escondem o que, na verdade realmente está acontecendo com a educação do nosso município.Parabéns pelo trabalho.

  4. O Acrísio Sena já foi um camarada Combativo que infelizmente não entendeu a falta de respeito que sofrem os professores pela inoperância e descaso do poder público… A câmara Municipal é um espaço Genuinamente Democrático, se não o é, deveria ser… Seria mais respeitoso se o Senhor, presidente Acrísio, convidasse os Trabalhadores da Educação para adentrar a Câmara Municipal…O que é respeito então sr vereador??

  5. Aírton, concordo plenamente com vc e me decepciona muito que o Sr. Presidente da câmara, tenha se dado ao trabalho de falar algo tão ridículo na mídia.. Infelizmente, o poder come a sensibilidade e o senso de justiça da maioria dos que lá estão..Acrísio Sena é só é mais uma decepção, assim como nossa Prefeita!!! Que ainda venha algo melhor! Enquanto isso, Lutemos professores!!

  6. Todas as vezes que tentarem passar essa mensagem em votação, estaremos lá. Isso é uma vergonha, uma falta de honra e caráter sem tamanho. Estão esquecendo que a câmara é um espaço do povo, espaço de manifestação já que os que estão lá entram mudos e saem calados apenas balançando a cabeça positivamente pra tudo que a prefeita diz.

  7. Nossa atitude quer mostrar ao governo de Luizianne que não vamos abrir mão de nosso piso salarial, lutamos por mais de duas décadas por este piso e não vamos aceitar ao invés de nosso piso a redução de salários, como propõe a mensagem que não foi votada ontem por conta de nossa luta, de nossa força e de nossa capacidade de sermos excelentes professores que damos diariamente aula de cidadania aos filhos dos trabalhadores e o Senhor Acrísio Senna outrra me ensinou assim. Conclamo a todos os meus colegas professores que reforcem nossa luta para conquistar o nosso piso. Sem o piso eu não piso na escola. Professora Princeza.

  8. Os professores dão mais uma vez uma aula de como não fazer greve. Nada mais sem nção do que invadir o plenário. Se a intenção é chamar a atenção da sociedade, eles conseguiram, mas perdendo credibilidade junto à sociedade. Uma categoria que age com truculência dificilmente consegue suas ambições. Triste o caminho da greve dos professores.

Comments are closed.