Corrupção

Programa Brasil sem Miséria é alvo de fraudes; No Ceará: Sem Bolsa Família, pais deixaram de comprar roupa para filhas

Programa Brasil sem Miséria é alvo de fraudes; No Ceará: Sem Bolsa Família, pais deixaram de comprar roupa para filhas

Uma série de reportagens do jornal O Globo mostra que até autoridades fraudam programa destinado a socorrer miseráveis.  “Não queria luxo, não. Só sair do aluguel. Aluguel vence muito ligeiro”, diz Maria do Socorro Ribeiro, de 31 anos, inscrita no programa Minha Casa Minha Vida, no município de Redenção, no Pará, e não contemplada com uma das 500 casas entregues em 29 de março deste ano.

Socorro vive com os filhos de 9 e 14 anos e o marido, servente de pedreiro que luta contra um glaucoma que já cegou um olho. Com problema crônico nos rins, ela deve mais de R$ 500 de aluguel e só não foi despejada porque a proprietária do imóvel tem “pena de botar para fora”. O Bolsa Família de R$ 134 por mês é o que sustenta os quatro. E a pouca comida chega à mesa graças às cinco galinhas que cria. “A casa ia mudar tudo. Não é que a gente ia ter mais dinheiro. Ia ter sossego”,  diz.

Investigação
Enquanto Socorro sonha com a casa própria, o primeiro empreendimento do Minha Casa Minha Vida em Redenção é alvo de investigação da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF). A suspeita é que as casas foram usadas como moeda eleitoral pelo prefeito Wagner Fontes (PTB), que tentou se reeleger, mas perdeu no primeiro turno para Vanderlei Coimbra Noleto (PRP).O Minha Casa Minha Vida, para famílias que recebem de 0 a 3 salários mínimos, é um dos programas voltados para o público-alvo do Brasil Sem Miséria, plano lançado em 2011 como carro-chefe do governo Dilma Rousseff e que reúne ações como o Bolsa Família, o Programa de Aquisição de Alimentos e o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil.

Abaixo
Em todo o Brasil, até 15 de outubro, mais de 300 mil unidades foram entregues nessa faixa de renda. Mas o plano — criado para tirar 16,2 milhões de pessoas que ainda vivem abaixo da linha de pobreza extrema, isto é, com renda mensal inferior a R$ 70 — enfrenta uma série de fraudes investigadas por MP, PF, Controladoria Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU), como mostra levantamento do GLOBO nos órgãos de controle.

Gato e dono de Land Rover entre inscritos para programas sociais
Billy é um gato de sorte. Ganhou sobrenome e entrou no cadastro do Bolsa Família. O dono do bichano, Eurico Siqueira da Rosa, era o coordenador do programa na cidade de Antônio João (MS) — e incluir o nome do gato da família é uma das fraudes pelas quais ele responde em duas ações na Justiça Federal. É um exemplo das irregularidades contra o Bolsa Família no país, que incluem ainda o caso de um dono de Land Rover na Paraíba inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) do governo federal.

Leia ainda:
Bolsa Família: Esposa de vereador Leonelzinho Alencar está entre os beneficiários do programa

Veja o vídeo:
Vídeo: Vereador Leonelzinho chora e diz que não sabia que esposa recebia verba do Bolsa Família 

No Ceará: Sem Bolsa Família, pais deixaram de comprar roupa para filhas
Sem trabalho, e com o marido fazendo bicos como ferreiro “que não aparecem todo dia”, Risomar da Costa Araújo, de 28 anos, moradora de Cedro (CE), a cerca de 400 quilômetros da capital Fortaleza, diz que é o dinheiro do Bolsa Família que faz com que as duas filhas do casal, Francisca, de 4, e Raizlya, de 9, tenham carne, fruta e até “Danone”. O marido Francisco Damião de Souza, também de 28, ganha cerca de R$ 200 por mês — só de aluguel, o casal paga R$ 100.

“No começo deste ano, de janeiro até agosto, a gente ficou sem receber (o benefício), não sabemos por quê. Na prefeitura, diziam que não conseguiam ver o cadastro porque o sistema ficava fora do ar. Nesse tempo, a gente ficou comprando menos comida, e sem comprar também roupa, sapato para as meninas. Elas pediam uma boneca que viam na loja, mas não dava, não”, conta ela, que, assim como o marido, estudou até a antiga 8ª série.

 Com  informações do jornal O Globo


Curtir: