Nacional

Programas de saúde vão tentar reduzir superlotação e falta de leitos

Dilma Rousseff Foto: Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff afirmou, nesta segunda-feira (14), que os programas “SOS Emergência” e “Saúde em Casa” terão como meta enfrentar dois dos principais problemas da saúde pública: a superlotação nos prontos-socorros e a falta de leitos nos hospitais.

“Estamos, com eles, dando mais um passo para melhorar a qualidade da saúde pública e aumentar a eficiência do atendimento no Sistema Único de Saúde”, disse Dilma durante entrevista no programa semanal de rádio Café com a Presidente, ao abordar as iniciativas lançadas no último dia 8.

Os programas
O “Saúde em Casa” tem o objetivo de ampliar o atendimento domiciliar do SUS. A finalidade é que, até 2014, o programa tenha mil equipes de atenção domiciliar e 400 de apoio atuando em todo o país. O Ministério da Saúde vai investir R$ 1 bilhão para custear esse atendimento.

O SOS Emergência, por sua vez, começa com a participação de 11 hospitais. A finalidade é melhorar a gestão e qualificar o atendimento nos prontos-socorros. Até 2014, a ação deve chegar às 40 maiores unidades do país.

Parceria
Dilma informou que haverá parceria com hospitais privados de excelência para o treinamento das equipes e a otimização da gestão das unidades selecionadas para integrar o SOS Emergência.

Leia mais:
Postos de saúde funcionam no feriado prolongado
Câmara discute superlotação nos hospitais
Falta de estrutura prejudica pacientes do HGF

Com informações da Agência Brasil