Eleições 2014

Pros do Ceará está sob “intervenção branca” da Executiva Nacional

Pros do Ceará está sob “intervenção branca” da Executiva Nacional. Foto: Kézya Diniz
Pros do Ceará está sob “intervenção branca” da Executiva Nacional. Foto: Kézya Diniz

A seção estadual do Pros no Ceará vive uma “intervenção branca”. Durante reunião ocorrida em Brasília, a cúpula nacional comunicou a mudança da senha disponibilizada pela Justiça Eleitoral à comissão provisória do partido no Estado, que agora ficará sob o controle da executiva central.

Em entrevista ao jornal O Estado, o líder do Pros na Câmara dos Deputados, Givaldo Carimbão (AL), afirmou tratar de uma decisão nacional e, portanto, não atinge somente o Ceará. “O Pros não tomou a senha de ninguém. A Executiva baixou uma portaria válida para todo o Brasil, determinando que as senhas ficarão sob responsabilidade da direção nacional”, explicou.

É geral
Carimbão disse, ainda, que a decisão não influencia nas articulações do governador Cid Gomes no Ceará, apenas traduz uma necessidade apontada pela Executiva nacional para “dirimir ocorridos Brasil afora”. O assunto será debatido, em reunião na próxima semana, por parlamentares do Pros, com base nas próprias competências do partido e com o objetivo de sintetizar a nova resolução.

Sem interferência
Durante a entrevista, Carimbão negou, em diferentes momentos, a possível interferência do Pros nacional na discussão sobre a montagem do palanque estadual, onde o Pros do Ceará pretende lançar candidato próprio ao Governo nas eleições deste ano.

Na última quarta-feira, o presidente regional do partido Danilo Serpa, e o prefeito Roberto Cláudio, além de deputados da bancada federal, estiveram reunidos com o presidente da legenda, Eurípedes Junior, para debater como será a “presença” da Executiva nacional nas decisões da Comissão Provisória do Pros cearense.

Respeito
Conforme o jornal O Estado publicou, lideranças locais não acreditam numa interferência local. À imprensa, o vice-governador Domingos Filho (Pros) minimizou os fatos. “Não há menção nacional nas decisões locais. Não só aqui, mas nos demais estados. Os partidos têm linhas mestras a seguir, mas respeitam as circunstâncias locais”, disse, acrescentando que as instâncias estão em constante diálogo e a executiva nacional respeitará a decisão tomada pelo partido no Ceará.

Insegurança
Nos bastidores, porém, a informação é de que medida causou certa insegurança nos parlamentares do partido, uma vez que, sem a senha, nenhuma candidatura poderá ser registrada junto à Justiça Eleitoral. Ou seja, tudo passará pelo crivo da direção nacional, o que, segundo algumas lideranças, poderá trazer prejuízos para as articulações locais.

Intervenção branca
A chamada “intervenção branca” diz que o controle de qualquer decisão da legenda no Estado ficará sob controle da direção nacional. Por se tratar de uma Comissão Provisória e não de um Diretório Estadual, a seção do partido no Ceará não pode passar por uma intervenção oficial.

Os diretórios de partidos políticos podem “dar legenda” para candidaturas, filiar novos integrantes e efetuar os registros juntos aos Tribunais Eleitorais, sem a necessidade de autorização do comando nacional. Na prática, sem a senha do partido, a Comissão Provisória fica impossibilitada de efetuar estes procedimentos e dependendo do crivo da Executiva central do Pros.

Ministério
O deputado Givaldo Carimbão (Pros/AL) confirmou a intenção da direção nacional do Pros em relação à mudança no comando do Ministério da Integração Nacional, atualmente chefiada por Francisco Teixeira – indicado pelo governador Cid Gomes. Contudo, negou que tenha se desentendido com Teixeira. Segundo ele, apenas, foi uma decisão nacional, inclusive anteriormente conversada com Cid.

Com informações do jornal O Estado


Curtir: