Polêmica

Câmara aprova reajuste de 28% para salário dos vereadores de Fortaleza

Manifestantes protestaram contra o reajuste. Foto: Kezya Diniz

Os vereadores de Fortaleza aprovaram, nesta terça-feira (03), com 22 votos a favor e 12 contra, um aumento de 28% nos salários . Com a decisão, cada parlamentar do município, que atualmente recebe R$ 9.288,04 mensais, passará a ganhar R$ 11.888,64 a partir de janeiro de 2013.

Recuo
A proposta inicial era de um reajuste de 61,8% que elevaria os salários para R$15.031,76. Mas diante da polêmica, os vereadores recuaram e aprovaram o reajuste que representa o acumulado dos percentuais oferecidos aos servidores da Câmara de Fortaleza nos últimos quatro anos.

Antes
A matéria foi incluída na pauta em duas outras ocasiões, mas não foi votada por falta de consenso. Na manhã desta terça, os vereadores passaram cerca de duas horas em uma reunião, a portas fechadas, na sala da presidência da Câmara, mas deixaram a sala sem chegar a um acordo.

Propostas
Assim, três propostas foram levadas a plenário:

1) Aumento de salário no limite de 75% do salário dos deputados estaduais, proposta que representaria reajuste de 61,8%;
2) Rejeição ao reajuste nos salários;
3) Adotar a mesma política salarial oferecida aos servidores públicos da Câmara Municipal nos últimos quatro anos. A proposta, que equivale a 28% de aumento, foi a aprovada.

Protesto
As propostas foram levadas a votação sob olhar de manifestantes que lotaram a galeria do plenário. Eles protestaram contra o reajuste. Com palavras de ordem e cartazes, cobraram “pra vereador, salário de professor!”.

Retirar manifestantes?
Depois de muito debate e manifestações contra a votação, a vereadora Toinha Rocha, do Psol, alertou aos demais parlamentares sobre uma possível ameaça de retirar os manifestantes do plenário. O presidente da Câmara, vereador Acrísio Sena, do PT, reagiu negando a intenção de esvaziar a galeria.

“Não vamos criar o fato político, que é o sonho de muitos que estão aqui, por meio da violência” ironizou, para, em seguida,  concluir afirmando:  “vocês (manifestantes) podem rasgar as guelas que nós vamos votar hoje, vamos votar hoje!“, disse Acrísio Sena.


Curtir: