Ceará

PSB quer PPS no palanque estadual; Pereira diz que Ceará tem compromisso de autonomia

Quado o PPS do Ceará entrou para o governo Cid, Roberto Freire - presidente Nacional dasigla - veio à Fortaleza e participou de encontro com o governador. Foto: Arquivo do blog
Quado o PPS do Ceará entrou para o governo Cid, Roberto Freire – presidente Nacional dasigla – veio à Fortaleza e participou de encontro com o governador. Foto: Arquivo do blog

O PSB, no Ceará, vai concentrar esforços para assegurar o PPS no palanque da pré-candidata do partido, Nicolle Barbosa, que trabalha para disputar o Governo do Estado em 2014. Presidido nacionalmente pelo deputado Roberto Freire (SP), o PPS oficializou formalmente, ontem, apoio à candidatura do pré-candidato do PSB à sucessão presidencial, Eduardo Campos.

Lá e cá
Após anunciada a união em nível nacional, começaram as especulações acerca das alianças nos estados. No Ceará, o PPS atua na base do governo Cid Gomes (Pros), adversário político dos irmãos Novais que, atualmente, comandam o PSB no Estado. A possibilidade foi ventilada, segundo o presidente do PSB regional, Sérgio Novais, após Roberto Freire ter “sinalizado”, o interesse em dialogar sobre o assunto.

Diálogo
Dirigentes do PSB, porém, informaram que devem solicitar, ainda este semana, uma reunião com lideranças do PPS no Estado, para trabalhar a possível aliança.

Campos, sim! Nicolle, não!
Contudo, a simples possibilidade de o PPS se juntar com o PSB, no Ceará, já provocou reações. Alexandre Pereira, presidente estadual da sigla, em conversa ao jornal O Estado, mostrou simpatia pela candidatura de Eduardo Campos, inclusive dizendo que todos os diretórios farão campanha para ele. Mas, quando o assunto é o palanque estadual, o caminho é outro. “Sou simpático à candidatura do Eduardo Campos. Agora, palanque estadual é diferente”, disse.

Pereira descartou a possibilidade de seu partido declarar apoio à candidatura estadual do PSB, afirmando que, em dezembro passado, ficou acertado com a cúpula nacional que, nos estados, o partido teria autonomia para acertar suas alianças. “Pediremos votos para Eduardo, sem precisar estar no palanque estadual”, citou Alexandre Pereira, acrescentando serem “indelicadas” as afirmações de que haveria a possibilidade de apoiar outro candidato senão o indicado pelo governador Cid Gomes. Ele disse, ainda, já ter conversado com o governador sobre a postura nacional do partido, antes mesmo de Cid migrar para o Pros.

Nota
Em nota enviada à imprensa, o PPS do Ceará reafirma que “mesmo com a definição nacional por apoio a Eduardo Campos, ao contrário do que a assessoria de pré-candidata do PSB ao governo está tentando disseminar, o PPS não vai apoiar candidatura do PSB ao Governo do Ceará”.

A legenda ainda ressalta a participação e o apoio ao governo de Cid Gomes e rechaça o posicionamento da pré-candidata, Nicolle Barbosa, sobre a aliança. “O PPS Ceará não aceita que outros partidos divulguem decisões inverídicas que envolvem esta agremiação partidária, o que demonstra apelação, desrespeito e ausência de democracia. Vamos somar esforços no que se refere à disputa nacional, trabalhando intensamente pelo apoio a Eduardo Campos no Ceará, mas PPS e PSB devem seguir caminhos diferentes na disputa ao Governo do Estado”, diz a nota.

Com informações do jornal O Estado


Curtir: