Bastidores

PT garante que não vai abrir mão do rodízio pela presidência da Câmara

Eduardo Cunha quer que PMDB siga na presidência da Câmara
Eduardo Cunha quer que PMDB siga na presidência da Câmara

O PT bateu o pé e lutará para manter o rodízio na Presidência da Câmara, acordado em 2010 com o PMDB. Com o fim do mandato do peemedebista Henrique Eduardo Alves (RN), o próximo presidente deveria ser petista. Mas o deputado Eduardo Cunha (PMDB) já avisou que a alternância não é “estatutária” e se antecipou ao lançar o próprio nome à Presidência.

Unificação
Enquanto Cunha conversa com líderes de outros partidos para angariar apoio, o presidente do PMDB e vice-presidente da República, Michel Temer, tenta apaziguar os ânimos e unificar o partido.

Rodízio
Durante reunião em Brasília, a Executiva Nacional do PT analisou a disputa. “Nós sabemos das movimentações do PMDB. Nós respeitamos a pretensão de qualquer pessoa. Qualquer deputado tem direito a ser candidato a presidente”, desconversou o líder do PT na Câmara, Vicentinho (SP). Ele defendeu o rodízio, no entanto, e anunciou que o tema será debatido novamente. “O que nós queremos é que se mantenha a tradição de um acordo que ocorre entre os maiores partidos. A penúltima foi do PT, a última do PMDB. Então, se mantiver o acordo, a próxima será do PT”, explicou.

Guimarães na disputa
O vice-líder do governo na Câmara, José Guimarães (CE) tem pretensões de se lançar candidato à Presidência, embora os nomes mais cotados sejam de Arlindo Chinaglia (SP) e Marco Maia (RS). “Nós ainda estamos em novembro e essa discussão é para o ano que vem. Qualquer decisão antes do tempo pode ser precipitada”, ponderou Vicentinho.

Tom da disputa
“Como manda a rotina do Parlamento, a maior bancada tem o direito de indicar o presidente”, ressaltou o presidente do partido, Rui Falcão. Ele lembrou ainda que Cunha “precisa fazer maioria para ser presidente”.

Com informações das Agências


Curtir: