Mensalão

Revista mostra prejuízo do publicitário Duda Mendonça com o Mensalão

Revista mostra prejuízo do publicitário Duda Mendonça com o Mensalão. Foto: Divulgação

A revista IstoÉ desta semana traz reportagem que mostra o impacto do Mensalão na atividade do publicitário Duda Mendonça. Acompanhe. Até o dia 11 de agosto de 2005, Duda Mendonça era conhecido como o publicitário que conseguiu transformar a imagem de sindicalista raivoso de Luiz Inácio Lula da Silva em líder popular carismático, o “Lulinha paz e amor”. Mas assim que decidiu ocupar, espontaneamente, a cadeira de depoente na CPI dos Correios e contar os artifícios usados pelo PT para pagar por seu trabalho na corrida presidencial de 2002, ele passou por um calvário particular.

Condenado antes da absolvição
Embora tenha sido absolvido pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), na última semana, o publicitário amargou uma silenciosa pena de quase oito anos. Viu minguarem seus negócios e a força de seu nome no mundo da propaganda. Os números são reveladores desse declínio. Em 2004, Duda chegou a faturar R$ 63 milhões em contratos com a União. Neste ano, os repasses do governo federal para sua agência não ultrapassaram a casa dos R$ 90 mil. Desde a crise, a então poderosa agência Duda Propaganda sofreu outras baixas significativas. Em 2009, fechou um dos escritórios do Rio de Janeiro. Já a filial de São Paulo chegou a operar no vermelho.

Mensalão
Com o nome manchado pelo escândalo do mensalão, a indisponibilidade dos bens, determinada pela Justiça, prejudicou ainda mais os negócios. Desde 2006, cada passo gerencial da agência só ocorre com o aval do Supremo. No ano passado, para alterar o quadro societário da firma, Duda teve que solicitar a autorização do ministro relator do mensalão, Joaquim Barbosa.

Lupa
A distribuição dos lucros entre os sócios da agência também passou a ser analisada com lupa pela corte. Para sobreviver à nova realidade que se impôs a partir do escândalo, e conseguir lucrar na área de publicidade e marketing, Duda teve de alterar geograficamente seu foco de atuação.

Nordeste
Notando que no Sudeste os candidatos evitavam seus serviços – por temer que os adversários levassem o mensalão para as campanhas –, Duda resolveu trabalhar somente para políticos da região Nordeste. No Maranhão e na Paraíba, comandou duas campanhas vitoriosas. A dos governadores Roseana Sarney (PMDB) e Ricardo Coutinho (PSB). Mas, em vez de exibirem o publicitário como grife na corrida eleitoral, como os candidatos faziam antes de o nome de Duda engrossar a lista de réus do mensalão, limitaram seu trabalho aos bastidores, evitando aparições públicas ao seu lado.

Do varejo a Fortaleza
Nas eleições deste ano, o profissional que era chamado de “publicitário fazedor de milagres” teve que investir no varejo das campanhas municipais, fazendo consultorias. Ele ajudou seu amigo Fábio Câmara (PMDB) a conquistar uma cadeira na Câmara de Vereadores de São Luís (MA). Ainda atua na campanha do candidato petista Elmano Freitas, que disputa o segundo turno da eleição à Prefeitura de Fortaleza. Mas ficou nisso.

Com informações da IstoÉ.com


Curtir: