Ceará
Atualizado em: 03/06/2011 - 8:16 pm

Promotora de Saúde quer que Estado assuma obrigações que a Prefeitura da capital não consegue cumprir. Foto: reprodução TV Jangadeiro.

Termina este mês o prazo dado, pelo Governo do Estado, para que a prefeitura de Fortaleza reassuma o fornecimento de leite especial para crianças com distúrbios alimentares.  Quem procura o município para receber o produto, diz que não consegue obter qualquer resposta.

Responsabilidade
Por telefone, a Secretaria de Saúde do Município disse à produção do Jornal Jangadeiro que o fornecimento não é de responsabilidade da prefeitura da capital.

Já a promotora de Saúde, Izabel Porto, entrevistada pela reportagem, afirmou que a responsabilidade é sim da prefeitura de Fortaleza, mas vai tentar garantir na Justiça que o Estado continue a fornecer o leite.

O caso já foi parar no Ministério Público Estadual. E enquanto a situação não é resolvida, as famílias temem pela saúde das crianças que deveriam ser beneficiadas. 

Acompanhe a reportagem de Omar Jacob exibida no Jornal Jangadeiro :

Comento
Mais uma vez a história se repete: a população precisa de um serviço, procura a prefeitura de Fortaleza e, no município, recebe a informação de que a responsabilidade é do Governo do Estado. Aí o cidadão se desloca até uma secretaria estadual e lá descobre que o caso é de competência da prefeitura.

Jogo do Empurra
Ou seja, começa o jogo do empurra: o Estado diz que a responsabilidade é da prefeitutra de Fortaleza, a prefeitura diz que é do Estado. Na prática, ninguém resolve o problema e quem arca com o prejuízo é a população.

Absurdo!
No caso da reportagem exibida nesta sexta-feira (03) no Jornal Jangadeiro o “prejuízo” pode ser pago com a vida de uma criança.  Sem saber a quem recorrer, a população procura o Ministério Público Estadual. Este, por sua vez, ingressa com ações para fazer com que os agentes públicos cumpram suas obrigações. Repito, OBRIGAÇÕES.

Obrigação
No caso específico, a promotora de saúde Izabel Porto ainda atesta a falência administrativa e financeira da gestão da prefeita Luizianne Lins (PT).

“Nós sabemos que o município de Fortaleza está passando por dificuldades tanto, a meu ponto de ver, gerenciais como financeiras, e vai ser mais uma expectativa que a gente vai gerar para o Poder judiciário, e aí nós vamos levar que o Estado promova esse programa dentro da secretaria de Saúde. Porque de nada adianta o Estado estar repassando recursos para o município de Fortaleza e o município não vir cumprindo a sua obrigação”, disse Izabel Porto.  

Parceria
Na campanha eleitoral governo e prefeitura venderam um mundo de parcerias que agilizariam os serviços beneficiando toda a população. Na prática, fica o jogo de empurra que penaliza até crianças. Vá dormir com um barulho desses.

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me