Ceará

Servidores docentes e técnico-administrativos da UFC entram em greve

Os professores e servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Ceará decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado, após votações em assembleias realizadas ontem (11) e nesta terça-feira (12). A paralisação dos docentes teve início nesta terça. Durante esse período não haverá atividades letivas.

Serão mantidos apenas os serviços considerados essenciais, como os prestados pelo Complexo Hospitalar da UFC. O estado de greve deverá atrasar a conclusão do semestre letivo 2012.1, que estava prevista para o dia 26 deste mês. A Universidade Federal do Ceará, através de suas entidades de classe e da Administração Superior, já se articula com o Ministério da Educação (MEC), em Brasília, a fim de intermediar as negociações com os servidores e, assim, reduzir os prejuízos da paralisação à comunidade universitária.

Pauta
De acordo com a Diretora de Assuntos de Aposentadoria do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (ADUFC), Profª Mirtes Amorim, os professores têm como principais pautas: equiparação dos salários dos docentes de Magistério Superior e de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico ao valor pago a pesquisadores do Ministério da Ciência e Tecnologia com a mesma titulação; retirada dos itens 42 a 47 da Medida Provisória nº 568/2012, que modifica o cálculo das gratificações de insalubridade e periculosidade; expansão das Instituições Federais de Ensino Superior, com manutenção da qualidade do ensino e reestruturação da carreira docente.

E ainda
Já os servidores técnico-administrativos reivindicam os seguintes pontos: reajuste do piso salarial da categoria para três salários mínimos, step de 5% de um padrão de vencimento para outro, reposicionamento dos aposentados, incentivo à qualificação profissional, racionalização de cargos e isonomia salarial entre os três Poderes, dentre outros. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do Ceará (SINTUFCe), Gerson Morais, o comando de greve será instalado na próxima sexta-feira (15). A partir de segunda-feira (18), começam a ser definidas as escalas de trabalho em setores nos quais há exigência legal de percentuais mínimos de trabalhadores em exercício.

Greve nacional
Em todo o Brasil, cerca de 50 universidades estão em greve, em meio a um movimento trabalhista que teve início no dia 17 de maio. Mais informações podem ser encontradas nos sites da ADUFC (www.adufc.org.br) e do SINTUFCe (www.sintufce.org.br).

Com informações da Coordenadoria de Comunicação da UFC


Curtir: