Ceará

TCE suspende contratação de professores temporários na rede pública do Estado

Pleno do TCE

O pleno do Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE-CE) aprovou, por unanimidade de votos, em sessão realizada nesta terça-feira (6), a suspensão do Edital da secretaria de Educação do Estado (Seduc) que tinha como objetivo a contratação de professores por tempo determinado para as escolas da rede pública estadual de Fortaleza.

A suspensão havia sido aplicada cautelarmente na última quinta-feira (1º de dezembro), por meio de despacho proferido pelo relator, conselheiro substituto Paulo César de Souza.

Fora da Lei
A medida foi adotada em processo de Representação formulado pela 5ª Inspetoria de Controle Externo (5ª ICE), que ao realizar acompanhamento sistemático de publicações realizadas pelos órgãos da administração pública estadual, constatou a publicação do Edital e seu desacordo com a Lei Complementar nº 22/2000, que regula a contratação de professores em regime temporário.

Pedido de Informações
Ao acolher os argumentos apresentados pela Inspetoria, o relator determinou a suspensão, do Edital, bem como prazo de 5 (cinco) dias para que secretária da Educação do Estado, Izolda Cela, apresente os esclarecimentos e informações.

Leia também:
Assembleia geral dos professores termina em confusão 
Em Sobral e no Cariri: professores da rede pública estadual nova greve 
Professores denunciam pressão de governo e sindicato 

Também foi determinado que, no prazo de 15 (quinze) dias, a titular da Seduc disponibilize ao Tribunal todas as seleções realizadas para contratações de professores temporários a partir de 22 de março último.

Com informações da Assessoria do TCE

2 thoughts on “TCE suspende contratação de professores temporários na rede pública do Estado

  1. Acho interessante esta decisão, pois quem trabalha é os temporário, tem professor efetivo da rede pública com carga horária de 200 horas que não trabalha nem um dos expedientes, mas recebe, antes ou depois da greve não aparece na Escola bravo, deveria era fiscalizar…..

  2. O governo deveria em primeiro lugar, nomear os 300 professores concursados e já lotados desde junho de 2011, para então pensar em contratação de professores temporários.

Comments are closed.