Bastidores

Temer ou Dilma? Deputados divergem sobre fim da crise política

Chico Lopes diz que, com Temer, população vai comer "o pão que o diabo amassou"
Chico Lopes diz que, com Temer, população vai comer “o pão que o diabo amassou”

Lideranças cearenses expressaram o posicionamento diante dos últimos acontecimentos no País, por conta dos desdobramentos diante do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em geral, concordam nos problemas, mas discordam das soluções.

“Essa história de golpe, que a Presidente sempre alegou por causa do impeachment contra a sua pessoa, não tem validade, porque as provas estão mostrando que ela praticou crimes de responsabilidade”, afirmou o deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB), acrescentando que o vice-presidente Michel Temer já está se preparando para assumir o comando do país e, para tal, deve nomear o economista Henrique Meireles para o Ministério da Fazenda.

O deputado lembra que a cúpula do PSDB apresentou propostas que considera fundamentais para participar de um eventual governo Temer, caso o Senado aprove o impeachment da presidente Dilma.

Para o tucano, a prioridade do eventual futuro governo é criar um programa de geração de emprego e renda e, para tal, incentivar o investimento privado. E lembrou que Temer irá receber inúmeras obras inacabadas e mais de dez milhões de desempregados.

De mal a pior
“Se a população brasileira, agora, está passando dificuldades devido a crise econômica, a partir do próximo dia onze, num eventual governo Michel Temer (PSDB), caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada, vai comer o pão que o diabo amassou, porque novos problemas virão”, frisou o deputado federal Chico Lopes (PCdoB) a propósito da crise que vive o País.

O deputado avalia que, na hipótese de um novo governo, serão implementadas medidas que reduzirão ou, até mesmo, acabarão com programas sociais e mudarão políticas públicas voltadas para os direitos dos trabalhadores. Para ele, a classe mais prejudicada será dos aposentados com congelamento de salários.

“É lamentável uma pessoa séria como a presidente Dilma perder o cargo através de um golpe, porque ela não cometeu nenhum crime”, salientou ele, acrescentando que permanecerá “vigilante” diante de uma possível “pauta bomba”. O parlamentar saiu em defesa dos programas desenvolvidos durante o governo do PT, afirmando que o programa Temer representa “um passado que com muita luta os trabalhadores ainda procuram se livrar”.

Economia
Ao defender o governo Temer, o deputado Danilo Forte (PSB) demonstrou otimismo na recuperação da economia. Segundo ele, o peemedebista deverá priorizar a pauta econômica para dar dinamismo à economia e dentro disso, poder suprir a falta de recursos, numa equação capaz de não majorar e, muito menos, criar novos impostos.

Danilo Forte, porém, sugere que, além desta equação, o eventual governo Temer possa também enxugar a máquina pública, ou mesmo priorizar da efetividade dos gastos com a redução dos cargos comissionados.

Com informações do OE


Curtir: