Bastidores

Temer rejeita remédios amargos e defende corte de despesas para sair da crise

O vice-presidente da República, Michel Temer, durante reunião com líderes de partidos da Câmara dos Deputados, no gabinete da Vice-presidência. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O vice-presidente da República, Michel Temer, durante reunião com líderes de partidos da Câmara dos Deputados, no gabinete da Vice-presidência. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O vice-presidente Michel Temer disse na noite de terça-feira(8) que o governo tem que evitar “remédios amargos” para a saída da crise econômica. “Temos que evitar remédios amargos. Temos que verificar, se for possível, simplesmente cortar despesas, a tendência é esta. Quando se fala em remédios amargos, tem de ser o menor dos remédios amargos”, disse ele.

Remédios amargos
Na segunda-feira (7), a presidente Dilma Rousseff afirmou, em mensagem gravada para as redes sociais, que alguns remédios para a situação atual podem ser “amargos”, mas são indispensáveis. “As medidas que estamos tomando são necessárias para por a casa em ordem e reduzir a inflação, por exemplo”, declarou a presidente.

Corte
Temer afirmou que defende o corte de despesas sem maiores aumentos de tributos. “Tenho agora reunião com os governadores do PMDB, com os presidentes da Câmara e do Senado, onde vamos discutir esse tema, que se inicia exatamente pela ideia do corte de despesas. As pessoas não querem, em geral, qualquer aumento de tributos. Aumento de tributos é só em última hipótese, descartável desde já. Não queremos isso. Eu vou ouvir os governadores que têm condições de fazer várias sugestões, e depois, trarei essas sugestões à presidenta”, afirmou o vice-presidente.

No Jaburu
Participaram da reunião os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão; do Rio Grande do Sul, José Sartori; do Espírito Santo, Paulo Hartung; de Alagoas, Renan Filho; de Rondônia, Confúcio Moura; e do Tocantins, Marcelo Miranda. O governador de Sergipe, Jackson Barreto, não esteve presente em razão de licença médica. Os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado Renan Calheiros, também participaram do encontro.

E mais
Participaram ainda da reunião os ministros da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, da Pesca, Helder Barbalho, e dos Portos, Edinho Araújo. Os líderes do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani, e no Senado, Eunício Oliveira, e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) também acompanharam o jantar.


Curtir: