Eleições 2018

TSE adia entrevista coletiva em que responderia sobre fake news e crimes eleitorais

TSE adia entrevista coletiva em que responderia sobre fake news e crimes eleitorais

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) adiou uma entrevista coletiva que estava agendada para as 16h desta sexta-feira (19) que trataria, entre outros assuntos, da disseminação de fake news nas eleições. A entrevista coletiva foi remarcada para as 14h de domingo (21).

Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, houve uma incompatibilidade de agenda -o órgão não deu mais detalhes.

Quem vai
Participarão da entrevista coletiva a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, o ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência da República, general Sérgio Etchegoyen, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a advogada-geral da União, Grace Mendonça, e o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro.

Polêmica
Nesta quinta (18), reportagem da Folha de S.Paulo revelou que empresários compraram pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT, via WhatsApp, o que configura prática ilegal. O PT e outros oponentes de Jair Bolsonaro (PSL) pediram ao TSE para investigar a ligação do militar com a prática. Até o momento, as autoridades não se pronunciaram sobre a suspeita.

Com informações da Folha


Curtir: