Ceará, Vídeos
Atualizado em: 02/07/2011 - 1:27 pm

O dia de hoje (02/07) foi marcado por mobilizações de servidores públicos estaduais insatisfeitos com a administração do governador Cid Gomes (PSB). Além de uma passeata-protesto que reuniu centenas de servidores nas ruas de Fortaleza, a categoria de Policiais Civis do Ceará iniciou greve geral neste sábado (02/07).

Greve da Polícia Civil
De acordo com o sindicato da categoria, somente 30% das delegacias de Polícia, entre unidades distritais, metropolitanas e especializadas de Fortaleza e do Interior, estão funcionando durante a greve dos policiais civis.

Inês Romero, pres. Sindicatos dos Policiais Civis do CE

Uma das principais reivindicações dos Policiais Civis é solução para o problema do baixo efetivo da Polícia Civil do Ceará, sobretudo de inspetores e escrivães.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará, Inês Romero, o efetivo é formado por cerca de 1.800 profissionais, número que, segundo ela, é insuficiente para que a categoria realize um bom trabalho. Além disso, os policiais apresentam reivindicações de ordem financeira.

A primeira delas é o pagamento de subsídio equivalente a cerca de 60% do ganho por delegados que, conforme o sindicato, é da ordem de R$ 7.037,54. A argumentação é de que, atualmente, inspetores e escrivães de primeira classe tem subsídios correspondentes a 26,66% ao dos delegados, valor que corresponde a R$ 2.125,00.

Polícia Militar
Ao mesmo tempo, Policiais Militares do Ceará deflagraram a operação “Tolerância Zero”.

Policiais Militares estão na Operação Tolerância Zero

Além de ser uma manifestação de apoio à greve dos cerca de 2.500 escrivães e peritos da Polícia Civil, que entraram em greve hoje, o movimento é um protesto dos PM’s conta a política salarial do governo do Estado.

Tolerância Zero
A ideia dos PM’s, com a “operação tolerância zero”, é realizar o maior número possível de prisões, superlotando delegacias que não vão dispor de efetivo suficiente para atender a demanda de ocorrências. A consequência será o estrangulamento do Sistema.

“Caminhada da Insatisfação”
Centenas de servidores ligados ao Fórum Unificado das Associações e Sindicatos de Servidores Públicos Estaduais do Ceará (FUASPEC) foram as ruas neste sábado (02/07) em protesto contra a administração estadual.

“O objetivo é denunciar à sociedade a falta de seriedade com que o governador Cid Gomes vem tratando os servidores e o serviço público por extensão”,dizia o manifesto dos sindicalistas.

Os manifestantes sairam da Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC), na Avenida 13 de Maio, Benfica, às 9h. De lá, eles seguiram em passeata até a Praça do Ferreira, no Centro da capital, onde foi realizada uma assembleia unificada com todas as categorias de servidores públicos estaduais.

Servidores foram as ruas para a Caminhada da Insatisfação

Pauta
Os servidores reivindicam: Reestruturação das tabelas salariais; realização de concurso público; implementação de Piso das categorias; refomlação da Previdência; segurança contra o assédio moral no trabalho; garantia de Assistência à saúde; mudanças na jornada de trabalho; reformulação na ampliação da carga horária; pagamento de Subsídio; pagamento de gratificação de titulação.

Peritos
Outra greve está marcada para acontecer a partir de segunda-feira, dia 4. Segundo o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual do Ceará, João Batista Silva, os peritos cearenses vão paralisar suas atividades. O sindicalista afirma que há dois anos a categoria negocia com o governo, mas as demandas ainda não foram atendidas.

Acompanhe a reportagem do Jornal Jangadeiro deste sábado (02/07)

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me