Fortaleza

Vereador questiona retirada de policiais das ruas para fazer segurança do prefeito

Vereador questiona retirada de policiais das ruas para fazer segurança do prefeito. Foto: CMFor
Vereador questiona retirada de policiais das ruas para fazer segurança do prefeito. Foto: CMFor

Nesta quarta-feira, 13 de março, o vereador Ronivaldo Maia (PT) denunciou na Câmara Municipal o que avalia como “contradição” da Mensagem do prefeito Roberto Claudio (PSC) que, segundo disse, “no meio de uma onda de violência em Fortaleza, solicita que sua segurança seja feita Polícia Militar ao invés da Guarda Municipal”.

A proposta permite o convênio com a Secretaria de Segurança Pública para a realização da segurança do chefe do Executivo e prevê que policiais militares se responsabilizem pela segurança pessoal do prefeito Roberto Cláudio e do vice, Gaudêncio Lucena.

Casos e casos
O vereador destacou que a violência é manchete diariamente em todos os jornais, e lembrou que, no último dia 11 de março, apenas cinco homens faziam a segurança de mais de 1 mil presos na Casa de Privação Provisória de Liberdade Agente Luciano Andrade Lima (CPPL 1), em Itaitinga, onde eclodiu uma briga entre presos, que resultou na morte de sete deles. “Daí vem o governador Cid Gomes dizer que briga de presos é algo comum e minimizar mais um caso de violência”, criticou.

Parecer rejeitado
Ronivaldo pediu vistas da Mensagem prefeitural na Comissão de Legislação, Justiça e Cidadania, e apresentou um parecer contrário à retirada da atribuição da Guarda Municipal de fazer a segurança do prefeito. O parecer foi rejeitado pela Comissão e Ronivaldo entrou com recurso para que o parecer volte a ser analisado. “Queremos mais eficiência da força policial. Mais policiais militares nas ruas, menos policiais nos gabinetes”, salientou.

Leia ainda:
Prefeitura propõe convênio com Polícia Militar para garantir segurança de Roberto Cláudio

Privilégio?
Para ele, Fortaleza dispõe de uma Guarda Municipal eficiente e que pode continuar realizando esse trabalho. O vereador questionou ainda se o “privilégio” de ter a Polícia Militar na segurança também será estendida aos demais prefeitos do Estado. “Aliás, a dependência da Prefeitura de Fortaleza das decisões Governo do Estado tem sido muito grande, quando vemos, a todo o momento, licenças municipais sendo concedidas rapidamente para obras de responsabilidade do governo estadual”, acrescentou.


Curtir: