Fortaleza

Vereadores de Fortaleza ressaltam prioridades no primeiro mês de trabalhos

O líder do Governo na CMFor, vereador Ésio Feitosa (PPS), diz que as críticas da oposição são “naturais”. Foto: CMFor

Dar resposta às demandas da sociedade e cobrar ações efetivas da Prefeitura de Fortaleza. Essas foram as duas principais ações apontadas por vereadores como prioritárias no balanço do primeiro mês de atividades na Câmara Municipal de Fortaleza.

A pedido do jornal O Estado, parlamentares, em primeiro mandato, comentaram o resultado dos trabalhos no Legislativo na tentativa de conseguir dar respostas à sociedade ainda nos primeiros meses do mandato.

A produção legislativa deixa clara a ansiedade e a tentativa de atender os compromissos firmados ainda na campanha eleitoral. Os vereadores de Fortaleza foram empossados no dia 1º de janeiro, mas a legislatura atual só começou em fevereiro. Assim, os primeiros projetos foram protocolados ainda no início do ano.

Produção
Durante os dois primeiros meses de 2017 foram registrados na Câmara Municipal de Fortaleza cerca 778 proposições, que envolvem projetos de lei, projetos de lei complementar, projetos de resolução e propostas de emendas à Constituição. A maioria dessas proposições foi apresentada pelos parlamentares, mas o total também inclui projetos de autoria do Poder Executivo.

Somente entre os meses de janeiro e fevereiro foram 147 projetos de indicação, duas propostas de emendas à Constituição, sete projetos de lei complementar e seis decretos legislativos, dentre outras matérias. Maioria dos projetos ainda seguem em análise pelas comissões temáticas permanentes da Casa.

Demanda
O vereador Michel Lins (PPS) disse que os parlamentares, no contexto geral, têm procurado ouvir a demanda popular, citando o projeto Câmara e Prefeitura nos bairros. Ele afirma a necessidade do parlamentar “estar mais presente na vida da população”. Embora esteja em seu primeiro mandato, Michel disse não ter encontrado dificuldades em relação ao funcionamento da Casa.

Lins pontuou sobre todas as solicitações que já foram feitas às autoridades municipais, destacando a requalificação da Barra do Ceará. Do ponto de vista turístico, segundo ele, parcerias podem fomentar a geração de emprego e renda da região.

Oposição
Mas nem só de propostas vive o trabalho legislativo. As críticas aos primeiros 60 dias de gestão do prefeito Roberto Cláudio, em seu segundo mandato, também marcaram a atuação dos parlamentares. O vereador Julierme Sena (PR) é um dos que critica o início do segundo mandato da gestão RC.

Segundo ele, o prefeito tem contrariado discursos de campanha. Por exemplo, segundo destacou, o reajuste da tarifa de ônibus, que, em janeiro, aumentou o preço de R$ 2,75 para R$ 3,20. “Não é justo com o trabalhador, em um momento de crise como este que estamos vivendo, que ele tenha que pagar por uma tarifa tão cara”, diz o vereador Julierme Sena (PR). Ele citou ainda o adiamento da inauguração do IJF 2 (Instituto Doutor José Frota) e a demissão de vigilantes das escolas municipais.

Líder
Mesmo diante das críticas, o líder do Governo na CMFor, vereador Ésio Feitosa (PPS), faz um balanço positivo dos trabalhos no período, inclusive da gestão municipal. “Os primeiros meses foram produtivos, do ponto de vista do debate político. Obviamente que cada parlamentar tem um entendimento sobre a cidade”, frisou.

Natural
O parlamentar acrescenta que o posicionamento da bancada de oposição cumpre seu papel durante suas “falas políticas”, o que é “natural” na Casa Legislativa. Para ele, a gestão de RC continua sendo exemplo para as demais cidades brasileiras. Ésio também fez destaque a produção legislativa.

Com informações do OE


Curtir: