Fortaleza

Vereadores falam da expectativa sobre RC em 2016

Deodato Ramalho chama atenção para problemas na área da saúde em Fortaleza. Foto: Genilson de Lima/CMFor
Deodato Ramalho chama atenção para problemas na área da saúde em Fortaleza. Foto: Genilson de Lima/CMFor

A disputa eleitoral nos municípios acontece em 2016, mas o debate sobre o assunto já está em pauta. Em Fortaleza, o clima, nos bastidores já mostra que os discursos serão acirrados na tentativa de garantir o apoio do eleitor e chegar ao Palácio do Bispo.

Eventuais ajustes no rumo da gestão municipal terão que ser realizadas, sobretudo, segundo parlamentares ouvidos pelo jornal O Estado, devido às pesquisas de opinião divulgadas ao longo de 2015. A começar por uma reforma administrativa por ocasião das desincompatibilizações de secretários que irão disputar as eleições de outubro próximo. Assim como em nível federal e estadual, a composição política local também demandará um redimensionamento por conta do reflexo da crise econômica.

“Na votação da proposta de orçamento, ficou muito claro que teremos um ano de ações voltadas para melhorar o índice de aceitação do prefeito, com medidas demagógicas e politiqueiras. Teremos um ano de 2016 com muitas ações de publicidades. Inclusive, já vêm acontecendo”, avaliou Deodato Ramalho, líder do PT na Câmara Municipal.

Não tá fácil
Na avaliação dele, o momento é ruim para o prefeito Roberto Cláudio devido a sua baixa popularidade e, por isso, usará todos os recursos para reverter o cenário. “Foram inchadas duas secretarias: uma delas ligada ao irmão do prefeito. São duas rubricas que têm uma margem de manobra grande por parte do gestor. Como ele visa melhorar sua imagem e disputar reeleição, irá usar para se fortalecer”.

Saúde
Ex-secretário da gestão Luizianne Lins, Deodato afirma que Fortaleza enfrenta um problema grave na área de saúde, que vai desde os problemas do mau funcionamento do Programa Saúde da Família, passando pelas unidades de saúde até chegar aos hospitais.

O vereador Ronivaldo Maia (PT) sugeriu que Roberto Cláudio priorize outras áreas, como educação e saúde pública. Segundo o petista, a Prefeitura só tem olhos para mobilidade urbana e “o resto tem sido abandono total”. “As políticas públicas do município estão cada vez piores, porque delas estão fora as questões dos idosos, das crianças e da mulher”, critica. O vereador lembra que a saúde pública da capital continua sem atender as demandas, porque “todo o dinheiro vai para a mobilidade urbana, que é através dela que o prefeito quer aparecer para a população”.

Defesa
Em meio às críticas, o líder do Governo na Câmara, vereador Evaldo Lima (PCdoB), condenou o discurso da oposição e disse que, assim como em 2015, a atual gestão “continuará trabalhando para avançar na educação, saúde e mobilidade urbana”. “Nos doze anos que antecederam a gestão Roberto Claúdio, foram inaugurados apenas dois postos de saúde. Chegaremos ao final de 2016, com 25 novos postos, seis UPAs, mais de 200 novos médicos, além do IJF 2 (Instituto José Frota)”.

Ele aponta que, apesar da conjuntura de retração da economia do País, a Prefeitura tem conseguido investir em prioridades, o que, segundo ele, tem sido feito com base em planejamento e investimentos próprios. “O cenário macroeconômico é sombrio. É um cenário de dificuldade. Fortaleza, ao revés, consegue realizar investimentos, sobretudo priorizando áreas como saúde, educação e mobilidade”.

Sem atropelos
Evaldo assegurou que, assim como em 2014, a expectativa é que o ano de 2015 também tenha atingido um grande conjunto de investimentos. Os dados, segundo ele, estão sendo consolidados pela equipe do governo. E assegurou que, no momento oportuno, Roberto Cláudio discutirá o cenário eleitoral, pois, antes disso, “atropelaria o andamento da gestão”.

Com informações do OE


Curtir: