Fortaleza

Viadutos do Cocó: Manifestantes denunciam tentativa de despejo da Prefeitura durante a madrugada

Manifestantes permanecem no Parque do Cocó e prometem se amarrar às árvores. Foto: Fernanda Meireles
Manifestantes permanecem no Parque do Cocó e prometem se amarrar às árvores. Foto: Fernanda Meireles

Um grupo formado por seis manifestantes que estão acampados no Parque do Cocó, acompanhados por dois advogados da Rede Nacional de Advogados Populares (Renap), denunciou na sexta-feira (02) à Defensoria Pública da União (DPU) “tentativas de despejo” da Prefeitura. Segundo afirma, as ações promovidas pela Guarda Municipal estariam acontecendo pela madrugada e sem aviso prévio.

Aviso prévio e aluz do dia
Segundo o defensor público da união, Dinarte de Pascoa Freitas, as ações que estariam sendo realizadas são contra ao que determina o código de processo civil.

“A Defensoria Pública da União está encaminhando às autoridades – tanto a prefeitura de Fortaleza quanto ao comando da polícia do estado do Ceará – a informação de que, caso venha se tomar qualquer medida em relação aos manifestantes no Parque do Cocó, que seja seguindo o que determina o código de processo civil, tanto com o prévio aviso aos manifestantes, como que ação seja realizado a luz do dia, do horário de 06 às 20 horas em dias uteis”, destacou o defensor.

Protesto
Os ativistas protestam contra a construção de dois viadutos que a Prefeitura de Fortaleza pretende erguer entre as avenidas Antonio Sales e Engenheiro Santana Junior, na área do Parque do Cocó.

Cautela
Em entrevista na quinta-feira (1º), questionado pelo blog Politica com K sobre a eventual retirada do grupo, com uso do aparato policial, Roberto Cláudio foi cauteloso.

“Eu espero que não. Se eu quisesse já ter entrado, teria entrado, entrado pra valer, e ter arrancado. Mas não é isso, né?! Não é isso que eu quero, não é o que a Democracia pede. Eu sou jovem, sou afeito aos debates e respeito as opiniões”, afirmou, ressaltando ainda que, desde a última quinta-feira (26), conta com autorização judicial para prosseguir com a obra.

Leia mais:
RC diz que ocupação do Cocó é ilegal: “Se eu quisesse, já teria entrado pra valer e arrancado”
Obra no Cocó fere o Plano Diretor de Fortaleza, afirma João Alfredo
Manifestantes permanecem no Parque do Cocó e prometem se amarrar às árvores

Intimidações
Na ultima quarta-feira (31/07) a informação que a Guarda Municipal iria invadir a ocupação levou, segundo os manifestantes, mais de 300 pessoas ao local. “Eles estão fazendo um trabalho de intimidação. Na ultima quarta-feira, chegou ao acampamento a informação que iam invadir na madrugada, chegaram, inclusive, a enviar uma ambulância do SAMU, vimos também homens armados a paisana circulando o local e quando passamos na frente do prédio do pelotão especial da Guarda Municipal foi possível perceber uma forte movimentação à 1 hora da manhã”, afirmou um dos manifestantes que preferiu não se identificar.

Sexta
Novamente, na madrugada desta sexta-feira (02), doze viaturas da guarda municipal estacionaram próximo ao acampamento onde os manifestantes se encontram. Após uma rápida mobilização pelas redes sociais várias pessoas se somaram ao acampamento. Mesmo sem realizar a ação desocupação, os guardas realizaram rondas na região chamando atenção de quem passava pelo local.

“Os cidadãos que ocupam o Parque do Cocó estão aqui em defesa do meio ambiente e pela garantia de uma mobilidade urbana consciente e totalmente responsável pela cidade em sua totalidade”, dizem os apoiadores do grupo.


Curtir: